NOSSA SENHORA DO ROCIO – PADROEIRA DO PARANÁ… Mãe que acolhe o Intereclesial


A cada homem que vem a este mundo, Jesus repete: “Esta é a minha Mãe. Por ela vencerás!” (Serva de Deus, Madre Maria José de Jesus)


A devoção a Nossa Senhora do Rocio teve início no século XVII, logo após a elevação do pelourinho em Paranaguá, em 1648. Quando, em 1686, os habitantes desta Vila, às margens de sua baía, foram assolados por uma peste, essa gente recorreu aos favores de Maria Mãe de Jesus, invocada neste título, para que os livresse desta terrível lamúria. Desde aí, Nossa Senhora do Rocio vem sendo o socorro das aflições dos devotos cristãos paranaenses. Rocio era o perímetro das Vilas, onde terminava a povoação, o arruamento, e começava a se condensar orvalho matutino. Rocio quer dizer orvalho, em português arcaico. Nossa Senhora do Rocio é Nossa Senhora do Orvalho Matutino, Nossa Senhora do Amanhecer. A imagem da Virgem do Rocio foi encontrada numa pesca milagrosa, nas redes do Pai Berê, no século XVII, na baía de Paranaguá. A primeira igreja foi edificada em 1813 e o Santuário em 1920.

Devido aos muitos milagres e graças alcançadas por intercessão, a devoção se espalhou entre o povo do Paraná e de diversos lugares as multidões faziam romarias ao Santuário da Virgem do Rocio. Assim, em 1977 o Papa Paulo VI declarou para a eternidade Nossa Senhora do Rocio como a Padroeira do Paraná.
Está crescendo, a cada dia que passa, a devoção a Virgem e Mãe do Rocio e consequentemente seu Santuário, em Paranaguá, está sendo cada vez mais visitado pelos devotos e turistas.

Milagres atribuídos a Nossa Senhora do Rocio
Através dos anos, a devoção cresceu até o milagre que deu fim a peste, em 1686, milagre que se repetiu ao longo dos séculos em inúmeras ocasiões em que a Santa do Rocio atendeu aos seus devotos com curas individuais e coletivas, como nos casos da Peste Bubônica, em 1901 e da Gripe espanhola, em 1918.

Há ainda inúmeros registros do socorro da Virgem do Rocio prestado aos marinheiros em violentas tempestades e tragédias no mar, os quais se tornaram seus devotos e a homenagearam com procissões e comoventes romarias pelas ruas da cidade, rumo ao Santuário. É o caso do navio “Raul Soares”, no dia 26 de junho de 1931; do navio “Philadélphia”, em julho de 1931; e do navio “Maria M”, no dia 08 de agosto de 1932.

O título de Padroeira do Paraná
Além desses, contam-se, muitos outros milagres ocorridos em cidades do Paraná sob sua intercessão, razão pela qual, em 1939, Nossa Senhora do Rocio foi declarada Padroeira do Paraná pelos Bispos do Estado e, finalmente, após anos de esforço civil e eclesiástico, a Santa Sé a declarou, em 1977, Padroeira do Paraná, indicando a Igreja do Rocio em Paranaguá como seu Santuário Estadual.

O título de Rocio, que na linguagem antiga significa “orvalho”, simboliza as constantes e ininterruptas bênçãos e favores que o povo paranaense recebe continuamente da Virgem Mãe, mediadora de todas as graças concedidas a seus amados filhos, os quais, por gerações e gerações, veneram sua Santa Padroeira as margens da baía de Paranaguá sob o titulo de Senhora do Rocio.

Oração

 

Virgem Senhora do Rocio, Mãe, Protetora e Rainha do Paraná, aqui estão os vossos filhos e filhas para invocarem o vosso santo nome e a vossa gloriosa proteção sobre o povo do nosso Estado. Abençoai as nossas famílias os nossos governantes, a nossa infância, a nossa juventude, os nossos idosos, os nossos pais e os nossos filhos. Abençoai os doentes e aflitos, os esquecidos pelo mundo onde a paz, o amor e a justiça dos homens ainda não se manifestaram. Abençoai, ó Mãe querida, a caminhada do nosso povo rumo ao Reino de Deus, na unidade do Cristo Jesus. Que a força vivificadora do Espírito Santo se instale nos corações e na alma dos vossos filhos de todos os rincões deste pedaço do Brasil. E que a graça abundante do Pai nos transforme nos verdadeiros mensageiros do mundo novo que há de vir, na comunhão da Santíssima Trindade e na grandeza da fé professada por todos os vossos filhos.
VIRGEM SENHORA DO ROCIO, rogai por nós. Amém!

 Hino de Nossa Senhora do Rocio Rainha do Paraná

Quando chega a primavera
Eu vejo a minha capela
Toda enfeitada de flor
A rosa me faz lembrar
Do Porto Paranaguá
Aquele ninho de amor
Da igreja do rocio
Onde o romeiro pediu
Uma graça e alcançou
Não há nada mais divino
Que o rocio cristalino
Da noite que serenou

Era o mês de novembro
Diz a história eu me lembro
A natureza floresceu
Num lindo campo de rosa
Uma santa milagrosa
Certa noite apareceu
Ali ergueram um santuário
Onde a Virgem do Rosário
Aos aflitos atendeu
Com o orvalho que caiu
Santa Virgem do Rocio esse nome recebeu

Quando chegam os marinheiros
Nossos irmãos brasileiros
No Porto Paranágua
Ao deixarem o navio
Vão à igreja do rocio
Suas benção implorar
Pedindo felicidade
Que acalme a tempestade
Que desaba sobre o mar
Pede paz e proteção
Pra que nunca falte o pão
Na mesa de um pobre lar

Santa Virgem do Rocio
Quem te vê e quem te viu
Nunca mais esquecerá
Os teus milagres profundos
Que aos filhos deste mundo
Vós não cansa de mostrár
Pela graça recebida
A lembrança prometida
Os romeiros vão levar
Prá Senhora Imaculada
Que um dia foi proclamada
Rainha do Paraná

Fonte: http: www.a12.com e  Pascom Arquidiocese de Londrina

Fotos Arquivos web

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *