CAMINHANDO, ORANDO E CANTANDO

RUMO AO 14º INTERECLESIAL DAS CEBs

Londrina PR – 23-27/01/2018

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e área interna
Foto de Iara Veras – Encontro da Arquidiocese de Fortaleza / nov 2017

<<O mundo urbano é um sinal dos tempos que nos convoca a uma conversão pastoral urbana.  O Papa Francisco nos impulsiona a olhar a cidade com os olhos da ciência e os olhos da fé. Deus habita nas casas, nas ruas, nas praças da cidade. A Palavra de Deus deve alcançar os núcleos mais profundos da alma da cidade. Uma cultura inédita palpita e está em elaboração no coração da cidade e do mundo urbano. (…) Hoje precisamos gritar: “O mundo urbano é prioridade da missão!”. Não nos roubem o entusiasmo missionário, não nos roubem o projeto “Comunidade de Comunidades”, não nos roubem o profetismo e a dimensão social do Evangelho>> Dom Orlando Brandes.

Com esse texto introdutório de Dom Orlando Brandes, primeiro presidente do 14º Intereclesial de CEBs, o Pe. Reginaldo Veloso (leigo) oferece às Comunidades Eclesiais de Base do Brasil um roteiro de músicas litúrgicas onde as mesmas celebrem já agora a reflexão da temática do grande encontro de cultura, troca de experiências, vivência prática de fé e irmanados no ideal de Cristo ressuscitado.

CAMINHANDO, ORANDO E CANTANDO, RUMO AO 14º INTERECLESIAL DAS CEBS

I – CAMINHANDO E ORANDO RUMO A UMA NOVA CIDADE

Nós te louvamos, ó Deus, porque és um Pai misericordioso!

Nós te bendizemos porque amas a todas as tuas criaturas com um coração de Mãe!      

– NÓS TE BENDIZEMOS, Ó DEUS PAI-E-MÃE DA HUMANIDADE!

Ilumina, Deus-Amor, o caminho das Comunidades     

que rumam para o 14º Encontro Intereclesial das CEBs.         

Nosso sonho é chegarmos a uma Nova Cidade.                                        

Faze-nos responsáveis pela tua Criação,

filhas e filhos cuidadosos da Mãe Natureza.                               

– ILUMINA-NOS, DEUS-AMOR!                                        

Ajuda-nos a caminhar como pessoas unidas e organizadas pelo teu Espírito,         

como discípulos e discípulas de Jesus,                                

solidários com os que mais precisam,                 

em comunhão com todos e todas que têm fome e sede da justiça.

– AJUDA-NOS, DEUS-AMOR!

Anima-nos a construir uma Sociedade nova,                  

onde todas as pessoas contribuem na medida de suas possibilidades                    

e são atendidas na medida de suas necessidades;                            

onde ninguém é marginalizado ou excluído;                                     

onde todas as pessoas têm terra, trabalho, e casa pra morar,      onde todas têm saúde, educação, cultura e lazer para desfrutar, onde todas têm transporte e segurança, direitos e dignidade, cidadania e prazer de participar.                         

– ANIMA-NOS, DEUS-AMOR!

Ó Pai e Mãe da Humanidade,                                                       

tu sempre viste a aflição do teu povo e escutaste o clamor dos oprimidos.             

Tu sempre enviaste alguém para conduzir teu povo

por caminhos de libertação, para a Terra Prometida,

onde mana o leite da justiça e o mel da paz.                          

Dá-nos o teu ESPÍRITO SANTO, Espírito de luz, verdade e amor.

– DÁ-NOS TEU ESPÍRITO DE LUZ, VERDADE E AMOR!           

Abre nossos olhos para os sinais dos tempos.                 

Abre nossos ouvidos e corações para os clamores da Cidade.

Em comunhão com JESUS, O LIBERTADOR,                      

queremos responder aos desafios do mundo urbano,               

e ser fermento de transformação de toda a sociedade.

– FAZE-NOS, EM CRISTO JESUS, DISCÍPULOS(AS)-MISSIONÁRIOS(AS) PARA UMA NOVA CIDADE!

MARIA, MÃE APARECIDA, solidária com todos os pobres da terra, roga por nós e sê nossa companheira de caminhada,         

em demanda da CIDADE SEM MALES.                                         

– Ó MARIA, MÃE DO LIBERTADOR, ROGA POR NÓS!                  

AMÉM! AWERE! AXÉ! ALELUIA!

 

II – CAMINHANDO E CANTANDO RUMO A UMA NOVA CIDADE

(1) CANTANDO A JUSTIÇA E O DIREITO

(CD “Vida, o Sonho de Deus, fx. 8

 CD “Servidores do Reino” – PAULUS, fx. 2)

Cantando a justiça e o direito,

Cheguei para a festa começar…

Amigo, eu exijo respeito.

Não venha esta festa estragar!

A festa é da gente, é de todos.

Ninguém vai ficar só de olhar…

As mangas, amigo, arregace.

Só vibra quem participar.

A luta é começo de festa.

Só presta quem for de arriscar.

Só vale quem for de aventura,

Quem dura na luta a enfrentar…

O mundo pensando às avessas,

Com a pressa de quem quer chegar,

A ver o seu sonho mais lindo se concretizar.

(2) FERMENTO NA MASSA

(CD “Vida, o Sonho de Deus, fx. 13

 CD “Servidores do Reino”, fx. 4 )

Nós somos fermento na massa, ê-ô-ê-ô!

/:fermento na massa, óia nós!:/

O Reino de Deus é assim,

Foi Cristo quem disse pra mim!

/:o reino de deus é assim!:/

/:fermento na massa, óia nós!:/

Foi Cristo quem disse pra mim!

Fermento sem massa não serve, ê-ô-ê-ô!

/:fermento na massa, óia nós!:/

Sem ele a massa não cresce,

Fermento sem massa se perde!

/:o reino de deus é assim!:/

/:fermento na massa, óia nós!:/

Fermento sem massa se perde!

No céu anjo faz louvação, ê-ô-ê-ô!

/:fermento na massa, óia nós!:/

Na terra se faz mutirão,

Se luta por libertação!

/:o reino de deus é assim!:/

/:fermento na massa, óia nós!:/

Se luta por libertação!

Sou índia, sou negra, sou gente, ê-ô-ê-ô!

/:fermento na massa, óia nós!:/

Meu jeito de ser diferente,

Beleza do meu Continente!

/:o reino de deus é assim!:/

/:fermento na massa, óia nós!:/

Beleza do meu Continente!

Eu gosto é de comunidade, ê-ô-ê-ô!

/:fermento na massa, óia nós!:/

Partilha na diversidade,

Riqueza da fraternidade!

/:o reino de deus é assim!:/

/:fermento na massa, óia nós!:/

Riqueza da fraternidade!

(3) BOCA DE POVO – Isaías 65,17-25

(ODC Part. I, p. 229)

/:boca de povo, povo

gritando o novo, novo

Deus-Amor mandou dizer:/

1.Eu vou criar um novo céu e nova terra

E o que passou, passou;

As misérias suportadas

Já não mais serão lembradas,

Todo mundo a se alegrar

Com o que eu vou criar!

2.Eu vou tornar Jerusalém uma alegria,

Todo o povo a sorrir;

Na cidade, eu vou vibrar,

Vendo o povo a se alegrar,

Já não mais se ouvirão

Choros nem lamentação!

3.Que já não mais as criancinhas pequeninas

Morrerão se se criar;

Ninguém mais vai falecer

Sem toda a vida viver,

Com cem anos, um menino,

Morrer antes, mau destino!

4.Que os trabalhadores casas construindo,

Nelas, eles vão morar;

Seus roçados plantarão,

Dos seus frutos comerão,

Ninguém mais constrói, nem planta,

Pra que outro more e coma!

5.Os meus eleitos, como árvores vivendo,

Do trabalho de suas mãos,

Eles vão, sim, desfrutar

E não mais em vão cansar,

Por Deus raça abençoada

Eles e a filharada!

6.Antes que eles por mim chamem, já respondo,

Inda pedem e já atendi;

Comerão bem juntos todos,

Boi, leão, cordeiro e lobo,

Nenhum mal, nem destruição

Em meu monte mais farão!

 (4) EU VI NOVO CÉU, NOVA TERRA – Ap 21,1-7

(ODC Part. I, p. 277)

/:eu vi novo céu, nova terra, eu vi,

ó filhas e filhos do povo, eu vi!:/

1.Pois o céu primitivo passou

E a terra de antes, também;

E esse mar que se via, afundou,

Deles, já não existe ninguém!

Vi descer lá do céu, lá de Deus

– Vi descer lá do céu, lá de Deus

Uma nova Cidade, também,

– Uma nova Cidade, também,

Pro seu noivo enfeitada, ela veio

– Pro seu noivo enfeitada, ela veio

Jovem bela era Jerusalém!

Jovem bela era Jerusalém!

2.E do trono, uma voz a bradar:

“Deus chegou pra morar com seu povo,

Seu barraco ele vai levantar,

Deus da gente será DEUS-CONOSCO!”

Toda lágrima vai enxugar

– Toda lágrima vai enxugar

E de morte ninguém mais ouviu!

– E de morte ninguém mais ouviu!

Todo grito de dor vai cessar,

– Todo grito de dor vai cessar,

O passado já era, sumiu!

– O passado já era, sumiu!

3.Tudo novo, eu estou a fazer,

Coisas novas já vão existir,

Pois, de tudo, eu sou “A” e “Z”,

O Princípio eu sou e o Fim!

Quem tem sede vai logo beber,

– Quem tem sede vai logo beber,

Pois da fonte água viva eu vou dar;

– Pois da fonte água viva eu vou dar;

Quem vencer me terá como Deus,

– Quem vencer me terá como Deus,

E meu filho, em herança, será!

– E meu filho, em herança, será!

(5) SANTA MARIA CANTAVA

(CD OfÍcIo das Glórias, f. 6

 CD “Servidores do Reino” fx. 13)

santa maria cantava e seu povo repetia:

/:foi deus que escolheu os pobres

pra fazer suas maravilhas!:/

  1. Ele viu o orgulhoso

a pensar que era um deus,

a fazer a acontecer,

humilhando os filhos seus…

/:Deus passou-o para trás

e nesse Dia ele aprendeu!:/

  1. Ele viu o poderoso

a pensar que era um deus,

a mandar e desmandar,

oprimindo os filhos seus…

/:Deus o derrubou do trono

e nesse Dia ela aprendeu:/

  1. Ele viu foi muito rico

A pensar que era um deus,

Ajuntando e esbanjando,

Explorando os filhos seus…

/:Deus deixou-o foi sem nada

E nesse Dia ele aprendeu:/

  1. Deus olhou para os sem vez,

Humilhados filhos seus,

Fez ciente dos seus planos:

“Com vocês é que estou eu!”

/:Levantou suas cabeças,

Nesse Dia o Povo creu:/

  1. Deus olhou para os sem voz,

Oprimidos filhos seus,

Revelou seu pensamento:

“Vocês são o Povo meu!”

/:Deus lhes deu muita coragem,

Nesse Dia o Povo creu!:/

  1. Deus olhou pro povo pobre,

Os famintos filhos seus,

Fez saber sua decisão:

“De vocês é o Reino meu!”

/:Deus uniu a mãos dos fracos,

Nesse Dia o Povo creu!:/

  1. Deus olhou e viu seu Povo,

Os queridos filhos seus,

Não conteve o seu prazer:

“O que eu prometi se deu:

/:O Pão se multiplicou

E fez festa o Povo meu!”:/

 

Uma contribuição de Reginaldo Veloso,    presbítero leigo das CEBs,

assistente regional do MTC,

assessor pedagógico do MAC,

membro da Equipe de Reflexão sobre Música Litúrgica do Setor de Liturgia da CNBB

Morro da Conceição – Recife PE

Reginaldoveloso937@gmail.com

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *