Assessoria das CEBs/MT discute identidade e funções na caminhada

A equipe de assessoria das CEBs do Regional Oeste 2 deu mais um passo rumo à percepção de sua identidade e de suas funções no trabalho pastoral. Isso foi possível a partir de um encontro realizado em Cuiabá (Mato Grosso), na sede do Centro Burnier Fé e Justiça. A atividade foi um encaminhamento definido em reunião ocorrida durante o Seminário de Assessoras e Assessores das CEBs da Região Centro-Oeste, em setembro em Brasília.

As pessoas presentes em Cuiabá no sábado (02) estudaram um texto sobre a missão do assessor e da assessora, baseado na interpretação e síntese de contribuições redigidas por Ranulfo da Silva, Nelito Nonato Dornelas, Pedro Ribeiro de Oliveira e Teresa Cavalcanti.

Assessor@s e coordenação regional. (Foto: Assessoria de Comunicação/Regional Oeste 2)

Características da assessoria

Alguns aspectos ficaram evidentes na leitura do texto. Assessoria auxilia as coordenações e comunidades, mas não toma decisões. Está próxima da caminhada do dia a dia, porém traz um olhar de fora, com certo distanciamento. Atua quando é chamada e não quando quer. E educa com o povo, ensinando e aprendendo ao mesmo tempo.

“Outro ponto importante é a pedagogia do exemplo, pois o assessor acaba sendo uma referência na comunidade também. Nesse sentido, suas atitudes contam até mais que o seu discurso”, disse o padre Marcílio Norberto da Silva, 32 anos, referindo-se a um trecho do texto estudado e, ainda, a uma observação recorrente do papa Francisco. Padre Marcílio atua no município de Nova Olímpia, pertencente à Diocese de Cáceres.

Sugestão de temas

O encontro teve a participação de assessoras e assessores das dioceses de Cuiabá, Sinop e Cáceres, da assessoria regional e da coordenação regional. Também foram elencados os seguintes temas para possíveis formações: Educação para relação de gênero e racial; Juventudes; Política; Bem viver; Sujeito Eclesial e Eclesiologia; Modelos de igreja; Teologia; Metodologia; Ecumenismo; e Direitos humanos. As sugestões serão encaminhadas às coordenações das dioceses, que devem apontar suas necessidades de formação.

Encontro foi em Cuiabá, no Centro Burnier. (Foto: Assessoria de Comunicação/Regional Oeste 2)

“Essa questão da ideologia de gênero está aparecendo muito nas nossas comunidades, mas percebemos que o assunto não está sendo tratado com profundidade. Por isso achamos importante nos preparar para o debate e auxiliar as coordenações nas discussões”, comentou Cristiane Costa de Jesus, 34 anos, assessora da Diocese de Cuiabá. O assunto seria trabalhado no tema Educação para a relação de gênero e racial.

Próxima ação

As pessoas presentes também definiram a programação do próximo encontro de assessoras e assessores, que vai ocorrer em Cuiabá entre 16 e 18 de fevereiro de 2018. Na ocasião será trabalhado o Documento 105 da CNBB (“Cristãos leigos e leigas na igreja e na sociedade”). Também haverá espaço para a definição de estratégias de ação para a assessoria.

Padre Marcílio destacou pedagogia do exemplo . (Foto: Assessoria de Comunicação/Regional Oeste 2)

Outra questão a ser detalhada no encontro é a definição de dois tipos de assessoria. Uma que acompanhe as coordenações e comunidades e outra caracterizada por sua contribuição numa área específica, como Planejamento, Ecologia, Direitos Humanos.

“Acredito que os encontros vão ajudar na preparação dos assessores, porque nós também precisamos de formação constante. Assim conseguiremos entender como estar próximos da caminhada e ao mesmo tempo ter condições de avaliar o processo com lucidez”, ponderou Luiz Antonio Ferreira da Silva, 42 anos, que atua no município de Carlinda, integrante da Diocese de Sinop.

Gibran Luis Lachowski, Assessoria de Comunicação do Regional Oeste 2

ACOMPANHE A GALERIA DE FOTOS

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *