Curso de formação em Juína (MT) destaca importância da mídia popular

Rádios e tvs educativas devem se posicionar contra a concentração de poder da mídia em poucas mãos e a favor da diversidade de opiniões da sociedade. Essa foi uma das mensagens presentes no curso de formação comunitária e popular ofertado pela assessoria de comunicação das CEBs do Regional Oeste II a funcionários da rede Nazaré, em Juína, noroeste de Mato Grosso.

O evento ocorreu no sábado (16) e domingo (17) no prédio que abriga os estúdios da rádio (89,5 FM) e da tv. Foi a primeira etapa de um projeto que vai se estender pelo ano que vem, já que a Direção Ampliada das CEBs no estado elegeu a comunicação como uma das prioridades para 2018. “Essa decisão tem o objetivo de contribuir com uma igreja em saída, em direção aos excluídos, cujo maior símbolo é Jesus de Nazaré”, disseram os jornalistas e assessores Ana Paula Carnahiba e Gibran Luis Lachowski.

Sistema alternativo de comunicação

O curso tratou do cenário nacional e internacional da mídia, diferenciou a comunicação hegemônica (capitalista, voltada ao lucro) da anti-hegemônica (popular e comunitária, direcionada aos interesses do povo). Também ressaltou a importância da leitura crítica da mídia e da formação de laços entre a igreja, movimentos sociais, sindicatos, ongs e associações de moradores na criação de um sistema alternativo de comunicação.

O curso trouxe textos do papa Francisco para ampliar a reflexão sobre o tema e também debateu a importância da democratização da mídia no Brasil a partir do documentário “Levante sua voz” (do Coletivo Intervozes).

O redator, apresentador e cinegrafista Willian Souza Ribeiro, 25 anos, destacou a importância da liberdade de informação estar associada ao respeito aos direitos da população. “Uma de nossas propostas é que a Nazaré faça mais matérias envolvendo minorias sociais como negros, mulheres, indígenas e pequenos agricultores”, pontuou o profissional durante um dos trabalhos em grupo.

Esse pensamento está em sintonia com as observações da gerente executiva e apresentadora Sidete Maria Strappazzon, 53 anos. “Há situações que nos amedrontam quanto aos direitos sociais já garantidos pela lei. Como nós somos porta-vozes da sociedade, principalmente dos mais fracos, precisamos voltar mais o olhar para eles”, completou.

Uma das situações que coloca em risco os direitos garantidos no noroeste de Mato Grosso é a violência. Colniza, município da região, teve seu prefeito, Esvandir Antonio Mendes (PSB), assassinado na sexta-feira (15). Esse fato somou-se aos nove trabalhadores rurais mortos numa chacina em abril deste ano na mesma cidade.

Mais contato com o povo

Também tiveram destaque nos trabalhos em grupo as propostas de estimular debates e ampliar os canais de comunicação com a sociedade. “É importante promover discussões públicas a respeito de assuntos que interferem no dia a dia do povo, como a Reforma da Previdência e as eleições que estão chegando”, comentou o locutor, apresentador e repórter Régis José Padilha, 29 anos.

A interatividade da Nazaré deve ser ampliada com a reformulação do site e a retomada do aplicativo da rádio, para que ouvintes de todo o país possam acompanhar as transmissões.

 

Por Gibran Luis Lachowski, assessor das CEBs do RO2

 

Confira a galeria de fotos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *