Lideranças do Crato (CE) destacam acolhida e profetismo do Intereclesial  

 

Antonia Maria Arcelino foi uma das cerca de cem pessoas que integrou a delegação do Ceará (Regional Nordeste 1) no 14º Intereclesial das CEBs, que ocorreu em Londrina (PR). Ela partiu da Paróquia Nossa Senhora dos Milagres, Diocese de Crato, e destacou as discussões feitas durante as miniplenárias, que aprofundaram o tema central, “CEBs e os desafios do mundo urbano”.  “Estudamos vários assuntos nos grupos de debate e colocamos em prática a ideia de uma ‘igreja em saída’, que busca soluções para as questões das cidades”, comentou.

Houve 13 miniplenárias que trataram dos desafios do mundo urbano. Entre elas: mundo do trabalho; juventudes; democratização e participação política; ecumenismo e diálogo inter-religioso; saúde e saneamento; ecologia e cuidado ambiental; mídias e direito à comunicação; acesso e condições de moradia.

Mais conhecida como Tânia, ela afirmou que o encontro marcou sua vida. “Minha participação no 14º Intereclesial das CEBs foi o maior presente da minha vida. As experiências com as famílias e as paróquias que nos acolheram foram muito boas. As pessoas nos atendiam com carinho. Nunca tive tanta alegria na igreja como em Londrina”, disse. Tânia também agradeceu ao povo do Regional Nordeste 1, que contribuiu para que a delegação pudesse participar do Intereclesial.

 

Deus agindo na história do povo

Maria Zilda Laurentino Batista partiu da mesma paróquia de Tânia e destacou o Intereclesial como um forte momento de oração e reflexão. “Foi de grande importância para despertamos e reconstruirmos nossas comunidades. Pudemos olhar para nós mesmos, para o futuro da igreja e seguir em frente na caminhada que Deus confiou a cada um de nós”.

Zilda, como é chamada, ressaltou a acolhida e convivência com as famílias de Londrina, que hospedaram a delegação em várias casas próximas das paróquias Nossa Senhora Aparecida/Quilômetro 9 e São Lourenço.

“Também é importante lembrar da força da palavra de Deus presente e agindo na história, com irmãos que estão entrelaçados em busca da justiça e da paz”, completou.

José Valmir de Oliveira, também da paróquia Nossa Senhora dos Milagres, chamou a atenção para o debate a respeito dos desafios do mundo urbano. “Cada assessor que conversou com a gente deixou uma motivação sobre a problemática das cidades e força pra gente continuar na luta”. Para ele, o Intereclesial “Foi um tempo de graça desde a missa de envio até os momentos finais”.

Elizabete Vieira Ferreira, da Comunidade Jenipapeiro II, da paróquia Nossa Senhora dos Milagres, recordou os bons momentos das viagens de ida e volta. “Formamos uma família. Um ajudou o outro. Durante a viagem teve canto, oração e reflexões com fatos da vida comunitária”.

Outras famílias foram formadas em Londrina, com quem chegava de longe e com quem já morava na cidade. “Fiquei na casa de uma senhora chamada Jorgina, que me acolheu com muito carinho”, disse.  Elizabete considerou a celebração dos mártires, na sexta (26), um dos grandes momentos do encontro. “O Intereclesial foi expressão do que o papa tem dito, de que um mundo justo é um lugar onde cada um tenha terra, trabalho e teto”.

 

 

Gibran Luis lachowki, equipe de Comunuicação CEBs/MT  (Fotos Comunicação CEBS/Nordeste 1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *