CEBs GRITAM PELA LIBERTAÇÃO (Mensagem à Ampliada Nacional e aos participantes do 14º Intereclesial)

Sou amante das Comunidades Eclesiais de Base, por longo tempo tive o trabalho gratificante de articular as CEB’s na minha diocese (Juazeiro da Bahia). Assim como juntamente com os companheiros e companheiras articular as CEB’s do Regional Nordeste III, cheguei a participar de alguns intereclesiais.
De 23 a 27 de janeiro de 2018 acontecerá, em Londrina-PR, o 14º Intereclesial das CEB’s. No clima do evento mesmo de longe já sinto o cheiro de CEB’s no ar.
Daqui de Juazeiro, das margens do Rio São Francisco quero saudar a Ampliada Nacional, com seu trabalho de organização, saudar os senhores bispos presentes, saudar as demais autoridades, saudar as delegações dos Estados, delegações dos países latino-americanos e de outras partes do mundo.

Seja o 14º Intereclesial um grito profético diante da realidade conjuntural que estamos vivendo.
A discussão do tema: CEB’s e desafios do mundo urbano, deve mexer no comodismo de uma sociedade omissa ao clamor do pobres, deve mexer na acomodação de lideranças da própria igreja que não priorizam as CEB’s e ficam concentradas no luxo e mordomias de suas moradias a exemplo de casas paroquiais fechadas e bem trancadas. Diferente de lideranças que optaram estarem no meio das massas, bebendo a água que o povo bebe, comendo a comida que o povo come, sofrendo as dores dos pobres, participando de suas lutas e comemorando as suas vitorias.
Que o 14º intereclesial faça-nos despertar para os apelos do Papa Francisco que quer uma igreja em saída. Que suscite, nas denominações religiosas a autenticidade e a coerência no anuncio do evangelho. Que a discussão dos desafios do mundo urbano provoque os governantes para o atendimento das reivindicações de políticas públicas para as comunidades carentes.
Que seja denunciada a concentração de recursos públicos para áreas elitizadas, enquanto nossas comunidades periféricas ficam desassistidas.

Nossa luta seja sempre por um Brasil sem corrupção, sem a imoralidade e sem o cinismo de golpistas que não têm vergonha de serem o que são. Pois o Brasil que queremos é um país onde nossos direitos sejam respeitados. Um Brasil para suas crianças, para o seus jovens, para os seus idosos, enfim para sua gente honesta e trabalhadora.
Que o Deus da vida dê força as CEB’s e com a proteção materna de Maria Santíssima elas possam organizar o nosso povo para a escuta da Palavra de Deus e à luz dos ensinamentos de Jesus Cristo encontrar a nossa tão sonhada libertação.
Um abraço cebiano e viva o Cristo libertador!
Amém, axé, auerê, aleluia!

José Alves de Sena (Zelinho)
Juazeiro/Bahia

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *