Intereclesial: rezando e refletindo os desafios das cidades e seus efeitos na vida do povo de Deus.

  “Eu vi e ouvi os clamores do meu povo, e desci para libertá-los.” (Ex.3,7)


Nos dias 23 a 27 de janeiro de 2018, nós, delegados e delegadas da diocese de Tianguá, estivemos reunidos e em comunhão com mais de 3.000 pessoas, entre leigos e leigas, religiosas, padres, bispos, pastores, pastoras, povos indígenas, quilombolas, irmãos de religiões de matriz africana e demais companheiros e companheiras da caminhada das Comunidades Eclesiais de Base, para vivenciarmos o 14º Encontro Intereclesial das CEBs do Brasil, em Londrina, Paraná, com o tema “CEBs e os desafios no mundo urbano”.
Na verdade, nosso Intereclesial teve início bem antes, quando ainda nos preparávamos em nossas comunidades, grupos, pastorais e movimentos, rezando e refletindo sobre os desafios das cidades e seus efeitos na vida do povo de Deus. Percorremos muitos quilômetros , ao longo de três dias, até chegar em nosso destino, nesse longo percurso experimentamos a partilha de alimento, de saberes, de cuidado uns com os outros e a oração diária.
Ao chegarmos em Londrina, fomos acolhidos em duas paróquias – Paróquia de Nossa Senhora Aparecida e Paróquia São Lourenço que, durante a semana, passaram a ser nossa casa, nossa família, nossa comunidade. No decorrer dos dias, convivemos com as famílias e conhecemos a realidade local, a cultura, os sotaques, o jeito de ser CEBs na vida da igreja, a superação dos desafios existentes no cotidiano das comunidades. Deus se manifesta carinhosamente na vida deste povo.
Construir o projeto de Deus a fim de que todos tenham vida em abundância (Mt 4, 21), frente aos desafios dos espaços urbanos não é fácil, é sim um caminho longo e cheio de percalços, mas que precisa ser feito, e nós, homens e mulheres, filhos e filhas do Deus da vida precisamos percorrer esse caminho de enfrentamento, precisamos ainda, como dizia nosso assessor Pedro Ribeiro, no primeiro dia de plenária, durante sua análise de conjuntura, “ouvir os gemidos da terra e o silêncio gritante das cidades”.
Depois de dias intensos e inquietantes, de tudo que vimos, ouvimos e sentimos no 14º Intereclesial, voltamos para nossos territórios com espírito renovado e inquieto, e com a certeza de que cada vez mais, precisamos reafirmar nosso compromisso com Cristo, que se manifesta no rosto e nas dores dos irmãos e irmãs que sofrem, a fim de sermos profetas e profetisas de nosso tempo e ser de fato, como nos pede Papa Francisco, “uma igreja em saída”.
Nossa gratidão a dom Francisco Edimilson, pastor desta Igreja, que nos deu todo incentivo necessário neste empreitada de fé, durante as várias reuniões que tivemos no processo de organização e que, presidindo a celebração eucarística de nosso envio, na Catedral de Santa’Ana, na noite do nosso embarque, deu-nos sua benção alimentando o propósito que nos motiva a sermos “sal e luz no mundo, na Igreja e na sociedade”. Nossa gratidão também ao nosso querido bispo emérito Dom Javier, que inciou conosco a preparação do Intereclesial e, para além do evento, durante seu pastoril , nutriu de esperança nossos corações durante nossa caminha de organização das CEBs. Estando inclusive conosco, na hora do nosso embarque, nos abençoando e nos desejando uma boa viajem e um bom encontro. Agradecemos também as comunidades, que estiveram conosco pastoralmente, aos nossos coordenadores e coordenadoras de base e todos os irmãos e irmãs que contribuíram de alguma forma para que nós, os 10 (dez) delegados – sendo a metade composta por jovens – servos de Deus, pudéssemos participar do 14º Encontro Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base: CEBs e os desafios no mundo urbano.
Amém, Axé, Awerê, Aleluia!

Por Carlos Jardel, CEBs Diocese de Tianguá CE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *