MENSAGEM DA AMPLIADA DAS CEBs PARA TODO O REGIONAL NORDESTE – 3 BA/SE.

Equipe de Articulação das CEBs do Regional NE 3 realiza encontro em Rui Barbosa

Partilhando, compreendemos que as CEBs devem ser presença para além do formal e do institucional, porque somos eclesiais, chamados para ir e seguimos as orientações do Papa Francisco que nos convida a sermos igreja em saída,

Entre os dias 6 e 8 de abril a equipe de articulação das CEBs do Regional NE 3 da CNBB realizou a 1ª Reunião Ampliada do ano de 2018, no CTL da Diocese de Rui Barbosa. Participaram do encontro os representantes das CEBs de 14 dioceses, padres, seminaristas, religiosos,  membros do Conselho de Leigos, da CPT, da PJ, PJMJ, indígenas, missionários populares, entre outros movimentos. O encontro trouxe  como  temática a Identidade das CEBs no Regional Nordeste 3 da CNBB.

Ao final do encontro os participantes escreveram uma mensagem para todo o Regional NE 3 e para as CEBs do Brasil. Acompanhe na integra.

 

MENSAGEM DA AMPLIADA DAS CEBs PARA TODO O REGIONAL NORDESTE – 3 BA/SE.

“Vós sois o sal da Terra. Ora se o sal se tornar insosso, com que salgaremos? Não serve para mais nada, senão para ser lançado fora e pisado pelos homens. ” (Mateus 5, 13)

O trem das CEBs fez sua parada na Diocese de Ruy Barbosa, chão sagrado do sertão baiano, terra de flores e pedras fortes como Maria Milza, Dom Mathias Schimit e Zacarias, lideranças da luta pela terra que doaram suas vidas pelas comunidades. Também hoje contamos com a alegria e o testemunho de Estafeta, Gladson, irmã Terezinha Foppa, Padre Eugênio e tantos outros e outras.

Nesse vagão nos encontramos, representando 14 dioceses, mais a CPT, Conselhos de leigos, PJ e PJMP.

Aqui chegamos sob angústias e inquietações destes dias. Mas foi cheios e cheias de esperanças no Ressuscitado que iniciamos nossa ampliada com a mística do ofício divino das comunidades, fonte da nossa espiritualidade.

Seguimos com a análise de conjuntura a partir da fila do povo, onde todos trazem a partilha da realidade social, política, econômica e eclesial. Das muitas falas, ecoou mais forte o momento histórico de perda da democracia, ditadura do judiciário, perda de direitos constitucionais e um sentimento de indignação e injustiça, que nos mobiliza e aponta a retomada e o fortalecimento do trabalho de base.

Assim, através de reflexões, entendemos que nossa identidade e Missão de CEBs se alicerçam na experiência das primeiras comunidades cristãs, na luz da palavra de Deus, na partilha do bem comum, na gratuidade do serviço, nas diversas manifestações culturais, nas celebrações de homenagens aos santos, santas e mártires da caminhada, bem como, na mística imbuída da experiência de Deus e da reflexão crítica da realidade. Também na teimosia das gentes que resistem aos poderes opressores, na caminhada de construção de espaços de justiça, de liberdade, de amor, de diálogo com as diferenças e no cuidado e defesa da vida presente em todo ser criado.

Partilhando, compreendemos que as CEBs devem ser presença para além do formal e do institucional, porque somos eclesiais, chamados para ir e seguimos as orientações do Papa Francisco que nos convida a sermos igreja em saída. “Somos as CEBs uma Igreja em saída que enfrenta os desafios do mundo urbano”. A comunidade deve ser “força de Deus, lugar abençoado, onde mora o povo seu” que acredita na religião libertadora por causa do Ressuscitado. Dessa forma, realiza a missão, vai construindo o Reino aqui e agora criando e recriando a igreja com o rosto de Cristo.

Conscientes de que somos fermento na massa e alimentados pela Palavra de que somos como sal da terra e luz do mundo, entendemos que a fé não deve estar apenas na causa dos pobres, mas acima de tudo, no Cristo. Isto que gera a unidade fraterna e ecumênica. É preciso neste ano do laicato fazermos memória daqueles e daquelas que a partir de Medellin, lutam pela construção de um Reino de justiça e paz, revisitando o baú das coisas antigas e novas.

Daqui seguimos com os olhos fixos em Jesus Cristo, o Anunciador da paz e Mestre da ternura.
Equipe de Articulação Regional NE III
Rui Barbosa/Ba, 08 de abril de 2018.

30 Comentário

  • Neide ribeiro

    Isto mesmo. É preciso seguir em frente levando o nosso compromisso de sermos uma Igreja em saída , articulando o povo pra fazer acontecer o reino de justiça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *