Coragem! Avante, CEBs do Brasil! Dom Geremias Steinmetz

 Agora caminhamos rumo a Rondonópolis. Quero, em nome da organização do 14º Intereclesial desejar a Dom Juventino Kestering e à Diocese de Rondonópolis um bom proveito desta caminhada. É possível transformar este momento em etapas de uma verdadeira evangelização.  

Ao ser preparada a 6ª edição do  Jornal A Caminho, foi me pedido um texto no sentido de fechar o ciclo do 14º Intereclesial acontecido em Londrina em janeiro de 2018, e abrir a caminhada em vista do 15º Intereclesial em Rondonópolis, no Mato Grosso. Lembro-me bem da participação, mesmo que pequena, no Intereclesial em Juazeiro do Norte – CE. Lá corria de maneira informal a notícia que o seguinte Intereclesial deveria acontecer no Paraná. Londrina se candidatou através do então arcebispo Dom Orlando Brandes e assim foi definido. Por aqui os trabalhos iniciaram imediatamente: foi constituída a equipe central que, com inúmeras reuniões, foi dando passos em vista de uma preparação lenta, gradual e assertiva. Tudo precisava ser pensado, organizado, sistematizado e, até, experimentado. Equipes para todas as áreas foram organizadas. Contatos com o clero, religiosos, paróquias, poderes públicos, empresas de transporte e logística, cooperativas e produtores foram feitos para baratear custos. Os voluntários foram aparecendo pouco a pouco até reunir uma grande multidão de pessoas das comunidades e paróquias da cidade. Enfim, tudo foi bem planejado e, passo contínuo, tudo foi bem realizado. Agradecimentos especiais a todos estes que se envolveram na organização do intereclesial de Londrina. Não podemos esquecer que, em vista da preparação para este grande encontro, aconteceram as Santas Missões Populares que foram um derramamento de graças sobre a Arquidiocese de Londrina. Ao fim de tudo podemos dizer e proclamar que foi um verdadeiro sucesso! Obrigado por esta oportunidade.

Na pastoral da Arquidiocese de Londrina estamos ainda em processo de assimilação das questões pastorais que surgiram e se evidenciaram com o processo todo vivido. Uma síntese de tudo isto (Santas Missões Populares, 14º Intereclesial e 16º Plano de Ação evangelizadora) precisa ser feita. As perguntas são simples: O que sobra de todo este processo? Como vamos prosseguir a caminhada? Quais elementos precisam ser incorporados no próximo Plano Arquidiocesano da Ação Evangelizadora? É isto que em Londrina estamos buscando responder. As propostas estão sendo sintetizadas em cinco áreas de atuação. Relato as principais:

  1. Paróquias consolidadas como comunidade de comunidades: Ser espaço de acolhida; Ter opção preferencial pelos pobres e sofredores; Lugar aonde os leigos sejam protagonistas; Superar o sacramentalismo; Superar o preconceito, o clericalismo, o racismo, a intolerância e a violência; Lugar do reconhecimento e valorização da família como Igreja-Doméstica; Ter o referencial no seu modo de serem Comunidades Eclesiais de Base.
  2. Comunidades Democráticas: Participar dos Conselhos de Políticas Públicas e qualificar os participantes; Tomar parte nos Conselhos Populares do bairro; Assumir a dinâmica das Pastorais Sociais; Articular campanhas solidárias.
  3. Comunidades participativas e ministeriais: Constituir e fortalecer os Conselhos Pastorais; Reconhecer e valorizar os ministérios laicos; Valorizar e perfilhar a mulher nos espaços de decisão; Formar missionários a serviço da vida; Investir nas lideranças para animar as comunidades, pastorais e grupos.
  4. Comunidades que, à luz da Palavra, formam e educam: Animar e fortalecer o Dia da Palavra; Vivenciar a experiência da Iniciação à Vida Cristã; Reavivar, fortalecer e animar os Grupos Bíblicos de Reflexão; Estudar e engajamento da Doutrina Social da Igreja.
  5. Comunidades que celebram sua liturgia a partir da vida e da alegria do Evangelho: Acolher as pessoas nas suas alegrias, tristezas e esperanças e celebrar o Deus da Vida; Superar o ritualismo e se celebre a realidade da vida da comunidade; Valorizar a Palavra; Fomentar a prática da leitura orante e a partilha da Palavra de Deus.

Agora caminhamos rumo a Rondonópolis. Quero, em nome da organização do 14º Intereclesial desejar a Dom Juventino Kestering e à Diocese de Rondonópolis um bom proveito desta caminhada. É possível transformar este momento em etapas de uma verdadeira evangelização. Da minha parte estou muito grato a Deus por tudo. Também pelas cruzes e sofrimentos! Ajudaram a evidenciar o quanto as CEBs continuam importantes no Brasil. No ano próximo a CNBB estará elaborando as novas Diretrizes da Ação Evangelizadora. Já conversei com o presidente da Comissão das Diretrizes e vou passar a ele todo o material elaborado durante o 14º Intereclesial. Tenho esperança que várias propostas ali surgidas “viverão” por muito tempo nas diretrizes pastorais da Igreja do Brasil. Coragem! Avante, CEBs do Brasil!.

 

Geremias Steinmetz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *