O trem das CEBs é como uma via sacra, Pe. José Geraldo de Sousa

 
A Ampliada Nacional das CEBs está reunida no centro de pastoral da Diocese de Rondonópolis – MT, para avaliação do 14º Intereclesial de CEBs, celebrado neste ano em Londrina – PR e para preparar o 15º Intereclesial a se realizar em Rondonópolis – MT, daqui a quatro anos.

Na celebração de abertura da reunião da Ampliada rezamos a caminhada dos intereclesiais, que em suas quatorze edições, assemelha-se a uma via sacra.

Esta caminhada está sempre em direção a Jesus, que, assumindo também as cruzes dos crucificados na história, carregam suas cruzes, marcadas por tanto dor e sofrimento, em busca da libertação e da vida plena.

O Regional Sul dois, que compreende o Estado do Paraná, preparou-se durante quatro anos para o 14º Intereclesial com uma peregrinação, acompanhada por uma cruz que percorreu todas as dioceses com um belo acolhimento.

Assim, em suas quatorze edições, os intereclesiais peregrinam em sua via sacra para a 15ª estação, a estação da vida, da glorificação e da ressurreição.

Comparamos a caminhada dos intereclesiais a uma via sacra, considerando, sobretudo, as tensões e os desafios vividos por cada um deles, assemelhando-se ao martírio de Jesus e dos pobres de todos os tempos e lugares.

O 15º intereclesial quer ser o momento oportuno para promover a ressureição dos pobres, numa Igreja pobre e dos pobres, assumindo os sofrimentos e esperanças dos deserdados no campo e na cidade, nas suas periferias geográficas e existenciais.
Queremos ser uma Igreja que sai ao encontro das pessoas, indo ao poço de suas realidades, bebendo daquela água, da qual os pobres são seus guardiões, que jorre para fora de si mesmos e os torna capazes de saciar a sede de quem vive no deserto existencial, experimentando a secura e a aridez de quem se deixou seduzir por uma sociedade desumanizante e para modelos estéreis de viver a fé numa Igreja sem saída.

Ao encontro da 15ª estação caminhamos para a vitória da vida que vence a morte, inspirados no ipê florido que reencanta a vida no cerrado.

Que na força do Cristo ressuscitado convidemos às comunidades eclesiais de base de nossa Pátria Grande a prosseguirmos na caminhada, encorajados pelo testemunho de tantos mártires que banharam este chão.

Como bem nos alertou o bispo anfitrião do 15º Intereclesial, Dom Juventino Kastering, que do chão desta terra do povo Bororó, busquemos a força sagrada da vida e a espelhemos com uma expressão muito querida a este povo: pemega, que quer dizer, seja bem vido, bem vinda, pois você é do bem e nos trás a paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *