Carta ao Povo de Deus Sobre as Eleições 2018 Regional Norte 1 da CNBB

 O Regional Norte 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, que compreende nove prelazias, dioceses e arquidioceses dos estados de Roraima e Amazonas, Leigos e Leigas, Consagrados e Consagradas, Diáconos, Padres e Bispos, reunidos em Assembléia na cidade de Manaus, de 24 a 27 de setembro,  emite  CARTA AO POVO DE DEUS SOBRE AS ELEIÇÕES 2018, reafirmando o compromisso profético.

Baixe em PDF

CARTA AO POVO DE DEUS SOBRE AS ELEIÇÕES 2018 REGIONAL NORTE 1 DA CNBB

Leia na ìntegra:

CARTA AO POVO DE DEUS SOBRE AS ELEIÇÕES 2018.

“Estou fazendo correr para Jerusalém a paz como um rio, e a riqueza das nações como córregos que transbordam” (Is 66, 12)

Nós Leigos e Leigas, Consagrados e Consagradas, Diáconos, Padres e Bispos do Regional Norte 1 da CNBB, reunidos em Assembléia na cidade de Manaus, de 24 a 27 de setembro, aprovamos esta CARTA AO POVO DE DEUS SOBRE AS ELEIÇÕES 2018.

Como discípulos/as missionários/as temos consciência de que estamos vivendo no Brasil “uma aguda crise que abala fortemente suas estruturas democráticas e compromete a construção do bem comum, razão da verdadeira política”. Neste contexto reafirmamos a importância da efetiva participação no exercício direto da democracia representativa, através do voto. Nas eleições, não se deve abrir mão de princípios éticos e de dispositivos legais, como o valor e a importância do voto, embora este não esgote o exercício da cidadania, pois com eleo eleitor cria governo, dá legitimidade  e assina uma procuração para fazer o que o bem comum requer. “Na vida pública, na política -afirma o Papa Francisco- se não houver a ética, uma ética de referimento, tudo é possível e tudo se pode fazer” (Roma, maio de 2013).

Somos convidados a viver nosso compromisso com a política em tempos de Eleição, em três momentos importantes:

  1. Antes: conhecer e avaliar as propostas e a vida dos candidatos ao Poder Executivo, procurando identificar com clareza os interesses subjacentes a cada candidatura, especialmente se defendem o reconhecimento dos territórios indígenas, dos quilombolas e das comunidades ribeirinhas; se forem candidatos à reeleição ou se ocupam ou ocuparam cargos públicos analisar qual foi seu compromisso com o bem comum; precisamos, também, ter um cuidado especial na escolha dos senadores e dos deputados federais e estaduais, que constituem o Poder Legislativo que votam as leis que podem ajudar ou prejudicar ao
  2. Durante: comparecer às urnase votar de forma: livre, votando em quem queremos e não em quem alguém manda que votemos; votando porque acreditamos que o candidato e as suas propostas visam a promoção do bem comum e não vendendo o voto, porque voto não tem preço, tem consequência; vender e comprar voto é crime pela lei 9840/1999; responsável: votando cientes que nosso voto pode ajudar a construir o bem comum, objetivo próprio da política e não votando para levar vantagens pessoais, para nossa família ou para nosso
  3. Depois: acompanhar os eleitos e as eleitas para que possam cumprir o que prometeram e promovam políticas públicas para melhorar a qualidade de vida da população, especialmente dos mais pobres e marginalizados; apliquem corretamente o dinheiro público, sendo transparentes e combatendo a corrupção; ajudar no controle social das contas públicas; participar efetivamente nos Conselhos Paritários.

Merecem nossa atenção a Mensagem da CNBB da 56º Assembleia Geral, “Compromisso e Esperança” e a Carta do Fórum Nacional das Pastorais Sociais, de 03 de agosto de 2018, “A verdade e o amor se encontrarão, justiça e paz se abraçarão (Salmo 85, 11)”. Nesta última lemos: “O Papa Francisco nos incentiva a sermos “Igreja em saída”, comprometidos com a Ecologia integral, e a CNBB, por meio do Ano Nacional do Laicato, nos convoca a reafirmar a importância da política. É por meio dela que se pode promover o bem comum. Sabemos que a política se faz no cotidiano, mas neste ano eleitoral, precisamos ter um papel mais ativo, enquanto mulheres e homens cristãos”. “As eleições – continua a Carta – são uma oportunidade para que os cristãos leigos e leigas possam promover debates e apoiar candidaturas que nasçam das comunidades, com uma trajetória de compromisso com as lutas por direitos do povo, que tenham propostas que apontem para a inclusão social dos mais pobres e excluídos; priorizem a defesa da vida humana, em todas as suas etapas e da mãe-natureza”.

Peçamos a intercessão de Nossa Senhora da Amazônia para que possamos fazer a escolha certa em prol da vida dos nossos povos.

Manaus, 27 de setembro de 2018.


Bispos do Regional Norte  1 da CNBB e demais representantes    participantes da 46º Assembleia.

Um Comentário

  • Marcos antonio Bertoli

    A paz de Deus e o anor de Maria nos ilumine.
    Povo de Deus não esta na hora de a Santa Igreja Catolica Apostolica Romana sair de cima do muro?
    Ja vimos o que aconteceu com o Brasil administrado pelos politicos que apoiamos(igreja católica). Vamos continuar no erro? Vamos de novo apoiar quem teve o poder e usou de má fé? Avança Igreja Catolica Avança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *