A REPAM Expressa seu Pleno Apoio e Solidariedade ao Papa Francisco

O Comitê da Rede Eclesial Panamazonica- REPAM,  torna publica carta de apoio e comunhão com o Papa Francisco, elaborada em sua última reunião realizada em São Paulo nos dias  23 a 25 de outubro.

Num tom de proximidade e carinho a REPAM mostra “seu pleno apoio e solidariedade pelo trabalho que vem realizando como Arcebispo de Roma com a ‘Alegria do Evangelho’  e no cuidado da nossa Casa Comum.” Ao mesmo tempo, se solidariza com o Papa “nesse momento de prova, em que carrega os pesos dos erros dos membros da Igreja” e do esforço em renová-la em espírito de Misericórdia e Profecia.

A Carta destaca a importância  da Amazônia como “fonte de vida no coração da Igreja e reconhece que “a  que a Enciclica Laudato Si é nosso horizonte de missão”, provocando “compromissos na defesa da Criação inteira”  entre os povos da região. Também reconhece a importancia do Sinodo para a Amazônia, que “está encorajando a atenta escuta dos povos indígenas como os principais interlocutores”.

Leia na íntegra:

Querido irmão, Papa Francisco

Saudamos-te com imensa afeição e gratidão. Reunidos em São Paulo (Brasil), quem assina estas linhas somos mulheres e homens, leigos-as, religiosos-as, padres, bispos membros do Comitê Ampliado da REPAM, com a presença de dois cardeais irmãos (Dom Cláudio Hummes, Presidente da REPAM e Pedro Barreto, enlace do CELAM na REPAM).

Além disso, querido irmão, expressamos nosso total apoio e solidariedade para com o serviço que vens fazendo como Bispo de Roma com a “alegria do Evangelho” no cuidado de nossa casa comum. Nós acreditamos profundamente que a Amazônia é e será fonte de vida no coração da Igreja e nos comprometermos, ainda mais, a orar por você, e ao mesmo tempo assumir, em permanente estado sinodal, nossa missão cotidiana como REPAM, proclamando a presença do Reino na Pan-Amazônia (pessoas, comunidades e território).

Tua encíclica Laudato Si é o nosso horizonte de missão. A reflexão dela está suscitando em muitas comunidades e territórios, esforços sérios e corajosos para traduzi-la em compromissos em defesa de toda a Criação, assumindo os graves riscos e conseqüências que isso acarreta.

A convocação do Sínodo Especial para a Amazônia está incentivando a escuta atenta aos povos indígenas como os principais parceiros e para nos ajudem a nós, bispos, sacerdotes, religiosos, religiosas, leigos e leigas “para ser um com eles.” O processo que estamos seguindo como REPAM fortalece nossa esperança e nos abre para discernir os “Novos Caminhos para a Igreja e para uma Ecologia Integral “.

Nossa Rede Eclesial Pan-Amazônica alcançou um bom nível de visibilidade e interação com
realidades locais, instituições eclesiais, da sociedade civil e até para acompanhar as vozes dos povos e comunidades indígenas nas esferas internacionais. Comprometemo-nos através dela e de nossas redes e meios de comunicação, para reforçar o teu sonho, que também é nosso, de uma Igreja em saída missionária, pobre para os pobres, em conversão permanente, ligada aos povos amazônicos ao redor de tua pessoa e em constante escuta das inspirações do Espírito na história eclesial e social de hoje.

Como você lembrou os bispos brasileiros em julho de 2013, “a Amazônia é um teste decisivo, um banco de prova para a Igreja e a sociedade”. Chegou a hora de receber com alegria e coragem este desafio pastoral, em um tempo tão complexo no mundo, para trabalhar com fé e esperança ao teu lado. Somos solidários com você neste momento de prova, quando você carregar pesos dos erros de membros da Igreja e do esforço de renova-la, em um espírito de misericórdia e de profecia. “O Romano Pontífice, sucessor de Pedro, é o perpétuo e visível princípio e fundamento da unidade, quer dos Bispos mas também da multidão dos fiéis” (Vaticano II, LG, 23). Agora, como nunca antes, nós nos abraçamos em comunhão com você e renovamos todo o apoio que você precisa como pastor.

Queremos construir uma igreja “com rosto amazônico” desde a Bolívia, o Peru, o Equador, a Colômbia, a Venezuela, a Guiana Francesa, o Suriname, a Guiana e o Brasil, com o apoio das instituições irmãs na Europa e nos Estados Unidos.

São Paulo, 25 de outubro de 2018

 

CartaApoyoPapaFrancisco.REPAM.Comité.Oct.2018

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *