NATAL É COLO! Ana Karla Alves

Não podemos soltar a mão de ninguém pra continuarmos sendo colo no coletivo e de olharmos juntos para esperança que brilha, mesmo pequena, brilha… no simples e pequeno como foi o menino.

Por mais que o menino tenha nascido em um lugar simples e sem uma espera material para acolher o seu corpo, foi uma noite que houve muitos sinais que traduzem o porque ele quis fazer presença no meio de nós.

Houve um céu inteiro de estrelas que acolheram: foi um colo que iluminou os sonhos do menino;

Houve cheiro de musgo naquela madrugada: foi o coloda natureza que dá vida e ar puro encharcando a vida do menino de coragem;

Houve animais, pastores que ouviram o choro do menino: foi o colo da escuta e do companheirismo que nunca abandonará o menino;

Existiu naquela acolhida uma mulher: a vida dela toda foi colo, Maria foi aconchego e  também anúncio de que o novo faria morada em nosso meio;

Existiu naquele canto um homem: José mostrou que o amor é pela segurança e esse colo embalou os desejos de um reino possível sem patriarcado onde o menino pulou e sorriu;

Os colos que seguraram o projeto de Deus eram a resistência, mesmo fragilizados/as o povo de Deus queria dar ao menino um chão fértil pra ele andar e realizar todos os sonhos de Deus na vida desse povo e do povo que ainda viria.

O colo que aqueceu o menino Jesus fez arder o coração de todos e todas que o cercavam. Sabendo era possível tão frágil e pequeno que pareça nossas ações se tivermos um colo pra continuar a esperançar nos dará animo e fortaleza para andarmos na contra mão sendo inspiração para o seguimento desse Jesus encarnado em nossos corpos e presente no nosso olhar pro horizonte.

Não podemos soltar a mão de ninguém pra continuarmos sendo colo no coletivo e de olharmos juntos para esperança que brilha, mesmo pequena, brilha… no simples e pequeno como foi o menino.

NATAL É COLO!

Fonte: https://pequenosretalhosblog.wordpress.com/2018/12/20/natal-e-colo/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *