Destaque

José Gregório Díaz Mirabal: “O Papa Francisco é fundamental para que outro genocídio na Amazônia não volte a acontecer”

José Gregório Díaz Mirabal: “O Papa Francisco é fundamental para que outro genocídio na Amazônia não volte a acontecer”

- NORTÃO, Destaque, Destaque News, Entrevista
A Coordenação das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica - COICA, r epresenta os mais de 400 povos da Pan Amazônia. Fundada em 1984, coordena os esforços, sonhos e ideais das nacionalidades, povos e organizações indígenas para promover, defender e exercer os direitos da vida como parte integrante da natureza e do universo. Desde junho de 2018, seu coordenador é José Gregório Díaz Mirabal, eleito no congresso de Macapá. Na semana passada, o líder indígena participou de uma reunião com o Papa Francisco, que ele considera "um reconhecimento à COICA",  embora essa atitude não seja compartilhada por todas as organizações indígenas. Ele mesmo afirma que alguns dizem que “os índios se venderam aos sacerdotes, que se ajoelharam diante do papa", recebendo muitas críticas fortes por isso. Jos
Lideranças refletem sobre Políticas Públicas e Fraternidade em Cuiabá

Lideranças refletem sobre Políticas Públicas e Fraternidade em Cuiabá

- OESTÃO, Destaque, Destaque News
A Campanha da Fraternidade 2019 – Fraternidade e Políticas Públicas - embalou uma manhã formativa na paróquia Sagrada Família, arquidiocese de Cuiabá (MT). Além do tema, se refletiu sobre o lema "Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is,1-27).  A atividade ocorreu no domingo, dia 17. Houve momentos de oração, animação, acolhida e estudos. Estiveram presentes lideranças de 11 comunidades da paróquia. As reflexões da CF 2019 foram conduzidas por meio do método VER – JULGAR – AGIR. A assistente social e assessora da CEBs da Arquidiocese de Cuiabá, Antônia Marcel  conduziu o VER juntamente com a economista e membra do Conselho Administrativo e Econômico da Paróquia Sagrada Família, Agada Werner. Antônia Marcel, mais conhecida como Toninha, explicou que “Políticas Públicas não
Miguel Piloto, professor indígena: “Padres têm que conhecer melhor as culturas indígenas”

Miguel Piloto, professor indígena: “Padres têm que conhecer melhor as culturas indígenas”

- NORTÃO, Destaque, Destaque News, Entrevista
Papa Francisco, no processo do Sínodo para a Amazônia, insiste na necessidade de ouvir os povos da Amazônia, estar disposto a aprender com o povo, com aqueles que vivem no local, em harmonia com a realidade que os rodeia. Miguel Castro Piloto pertence ao povo Baniwa, que vive na região noroeste do Brasil, às margens dos rios Içana e Ayarí, município de São Gabriel da Cachoeira, na fronteira com a Colômbia. Ele é professor da comunidade de Asunção do Içana há 35 anos. Nesta entrevista, o professor fala sobre a importância da educação indígena diferenciada, as dificuldades que encontram para que os jovens possam valorizar sua própria cultura Baniwa e como deve ser a relação entre a Igreja Católica e os povos indígenas. Junto com isso, Miguel Piloto mostra suas impressões sobre o Sínodo
Uma “igreja em saída” precisa de uma comunicação popular

Uma “igreja em saída” precisa de uma comunicação popular

- OESTÃO, Destaque, Destaque News, Rumo ao 15º Intereclesial
Uma comunicação de CEBs só tem sentido se for popular. E para que isso ocorra, basta contar o que se passa no dia a dia das comunidades. Deve ser uma comunicação que venha de baixo, das bases. Essa foi uma das maiores lições tiradas do curso de formação "Comunicação Popular e Igreja em Saída", que ocorreu no sábado e domingo (dias 16 e 17) em Rondonópolis (MT). Confira galeria de imagens ao final da matéria. A atividade foi promovida pela coordenação das Comunidades Eclesiais de Base da diocese Rondonópolis-Guiratinga (Regional Oeste 2) e ocorreu no Centro Catequético padre Gunther Lendbradl, na paróquia Santa Cruz. Na oração inicial do sábado as pessoas presentes lembraram do aniversário de 91 anos do bispo emérito da prelazia de Sao Félix do Araguaia (MT), dom Pedro Casaldálig
Palmares recebeu o 3° Encontro de Jovens da PJMP NE2

Palmares recebeu o 3° Encontro de Jovens da PJMP NE2

- NORDESTÃO, Destaque, Destaque News
A Pastoral da Juventude do Meio Popular do Nordeste 2 reuniu sua juventude em Encontro de Jovens da PJMP NE2, em Palmares (PE), reunindo cerca de 80 pessoas, entre jovens das Comissões Diocesanas e Assessores. Sendo realiado de 15 a 17 de fevereiro, tendo como tema “Não deixe a lamparina apagar (Mt 25:1-13)”, e o lema “História, Mística e Identidade”. Estiveram presentes no encontro as dioceses dos estados que compõem o Regional: Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. O encontro trouxe momentos de análise de conjuntura, trabalho de base, realidades do regional, conscientização de identidades populares, espiritualidade e catequese popular. Como também apresentou o planejamento pastoral. Na oportunidade foram apresentados aos participantes do encontro a Coordenação Regio
Comunicação na Amazônia: colocar o microfone para que os povos falem

Comunicação na Amazônia: colocar o microfone para que os povos falem

- NORTÃO, Artigos, Destaque, Destaque News
"A melhor maneira de comunicar a defesa da Amazônia é ouvir seus protagonistas". Superar visões estereotipadas que tentam esconder a vida real da Amazônia e seus povos é um dos desafios que a Rede Eclesial Pan-Amazônica - REPAM, tenta responder. Para isso, é necessário que os povos tomem a palavra, pois "a melhor maneira de comunicar a defesa da Amazônia é ouvir seus protagonistas", segundo Rocío Huamancondor, da Associação Latianoamericana de Educação e Comunicação Popular - ALER. O eixo de comunicação da REPAM está sendo um nexo de união que nos últimos anos tenta articular o trabalho de diferentes meios de comunicação e instituições, muitos deles ligados com a Igreja, que tentam recolher as vozes da Amazônia, sabendo que "a comunicação Pan amazónica tem seus próprios caminhos, tempo
   As veias amputadas da América Latina – Marcelo Barros

  As veias amputadas da América Latina – Marcelo Barros

Articulação Continental, Artigos, Destaque, Destaque News
Há décadas, Eduardo Galeano escreveu “As veias abertas da América Latina” para denunciar a situação de exploração da terra e dos povos do continente, assim como a dependência que mantínhamos em relação aos impérios do mundo;  as veias da América Latina continuam abertas e sangrando.  O que adianta a ONU consagrar a cada ano o 20 de fevereiro como dia mundial da justiça social se aceita que a desigualdade social e econômica seja cada vez mais escandalosa e brutal? Não é possível se esperar justiça social em um mundo no qual 60 famílias possuem o equivalente à renda de mais de três bilhões de pessoas, isso é, a metade de toda a população mundial. Na América Latina, na primeira década desse século, alguns governos progressistas e mais ligados aos pobres conseguiram diminuir a pobreza e redu
Carta da Colegiada das Comunidades Eclesiais de Base do Estado de São Paulo

Carta da Colegiada das Comunidades Eclesiais de Base do Estado de São Paulo

- SULÃO, Destaque, Destaque News
“Eu vi e ouvi os clamores do povo e desci para libertá-lo”, sejamos os braços que o Senhor necessita para ajudar a ceifar a messe! A Colegiada Estadual das CEBs do Regional Sul1 com a presença de representantes de nossas oito sub - Regiões com presença de padres assessores na Colegiada . Se reuniu nos dias 16 e 17 na Comunidade Agrovila Campinas sub regional Botucatu, Município de Promissão, onde fomos carinhosamente acolhidos e acolhidas. Iniciamos com o Ofício Divino das Comunidades, fazendo memória da nossa caminhada e do martírio Irmã Dorothy Stang. E na noite cultural feito memoria com as crianças em forma de teatro. Com a proposta de aproximar dos movimentos sociais em antecedência á romaria 2020 temos propostas de encontrar com alegria nossos irmãos dos movimentos sociais, em bus
Zé Vicente: “a música mostra a relação com o Mistério profundo de Deus, que nos move com seu sopro cada dia”

Zé Vicente: “a música mostra a relação com o Mistério profundo de Deus, que nos move com seu sopro cada dia”

- NORDESTÃO, Destaque, Destaque News, Entrevista
Cantar uma canção que fala de nossa esperança, da nossa ecologia, dos nossos direitos, da nossa alegria e da nossa união, dos nossos defeitos, do nosso grito, do nosso clamor, é exatamente cantar a nossa alma com o povo.  Essa é a minha concepção da minha esperança ao povo. Zé Vicente é alguém que fez da música uma maneira de expressar toda a vida que tem dentro, porque ele mesmo reconhece que sua vida está ligada à música. Sempre muito próximo do povo, da região Nordeste onde nasceu e mora, sente-se próximo ao povo nordestino, lutador e sofredor, mas que mantém a esperança. Ele canta desde uma experiência de fé, uma experiência mística, de um Deus que o inspira. Ele sabe que hoje os caminhos da música católica no Brasil são diferentes, deixando-se influenciar pela lógica do mercad
O desafio do protagonismo da mulher na vida da Igreja

O desafio do protagonismo da mulher na vida da Igreja

Artigos, Destaque, Destaque News
“Eles temem que depois do diaconato das mulheres se exija o sacerdócio das mulheres“  Teóloga Maria José Arana A teóloga foi um das oradoras do III Seminário de Mulheres em Diálogo do Instituto Superior de Pastoral. “É verdade: havia diaconisas na igreja primitiva e há muitíssimo medo de reconhecer isso, que depois do diaconato feminino se reivindique o sacerdócio das mulheres“. afirma de forma contundente a teóloga María José Arana (Bilbao, 1943). Esta é a tese básica que expôs no evento e sobre a qual se discutiu com as mulheres participantes do Terceiro Seminário Mulheres em Diálogo, organizado pelo Instituto Superior de Pastoral de Madrid. A fórmula de ordenação de diaconisas que existia na Igreja primitiva “era muito semelhante à da ordenação masculina, mas um pouco mais curta”, as